A integrante do Conselho Executivo do Banco Central Europeu (BCE) e vice-presidente do Conselho Fiscal do BCE, Sabine Lautenschläger, sugeriu nesta manhã o fortalecimento da união econômica e monetária da União Europeia (UE).

Em um discurso realizado aos estudantes da Universidade de Copenhagen, na Dinamarca, Lautenschläger disse que resolver os desafios futuros implica em negociações entre todos os Estados-membros, mas cada um deles tem prioridades e pontos de vista ligeiramente diferentes.

Por causa disso, “se quisermos que esse esforço seja significativo, precisamos refletir sobre os objetivos de longo prazo. No que me diz respeito, um dos objetivos deveria ser fortalecer a união econômica e monetária”, disse a integrante do BCE.

Neste sentido, ela sugeriu que um bom ponto de partida seria atribuir poderes a um ministro das finanças europeu. “O ministro de finanças poderia coordenar as políticas econômicas nacionais de uma maneira diferente. Pode assegurar que a política fiscal nacional seja conduzida com objetivo de contribuir para a realização dos objetivos da UE”, ressaltou.

Lautenschläger, no entanto, pontuou ser uma decisão difícil, uma vez que “os eleitores podem sentir que conceder maior escopo à UE significa afastar-se dos interesses nacionais”, poderando, porém, que isso seria um ganho a longo prazo.

Estadão Conteúdo

(Visited 4 times, 1 visits today)