As áreas de educação, social, cultura e esporte serão as primeiras a integrarem o projeto de segurança pública.

“Não basta ao sistema de Segurança oferecer somente polícia e cadeia”. Foi com essa defesa que o vice-governador e secretário de Segurança Pública do Amazonas, Bosco Saraiva, fez a primeira reunião de integração entre secretarias da área social, esporte, cultura e segurança do governo Amazonino Mendes neste domingo, 9 de outubro.

Os titulares de seis pastas estão finalizando trabalhos para divulgar, durante a semana, o lançamento de um novo programa que vai levar diversos serviços sociais aos bairros.

De acordo com o vice-governador e secretário de Segurança Pública, os reforços no combate à criminalidade já começarão a ser sentidos pela população a partir desta semana, com o retorno do patrulhamento ostensivo comunitário às ruas. “Retornaremos com os policiais em motocicletas para uma ação rápida”, disse. O modelo começa pelos bairros da zona leste de Manaus.

Cursos

Em outra frente, a nova estratégia da segurança pública pretende ampliar nos bairros a oferta de cursos de qualificação profissional, atividades esportivas, culturais e serviços na área de assistência e promoção social.

“Não basta ao sistema de segurança oferecer somente polícia e cadeia. A determinação do governador Amazonino é que aproxime o governo do povo, levando essas ações. Tudo o que estava no gabinete vai para as ruas. Vamos ao encontro do povo e melhorar a vida da população e do interior do estado”, ressaltou Bosco Saraiva.

Integração

Participaram da reunião, a presidente de honra do Fundo de Promoção Social, Mônica Mendes, as secretárias de assistência social, Auxiliadora Abrantes, e de Juventude, Esporte e Lazer, Janaína Chagas, o secretário de Cultura, Denilson Novo, e o diretor do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas, Rony Siqueira.

Qualificação na segurança pública

Ainda no domingo, Bosco Saraiva participou da certificação de servidores da segurança pública em um curso de sexologia forense. Oferecido pelo IESP e pelo Departamento de Polícia Técnica-científica, a qualificação beneficiou estudantes de medicina e servidores das áreas de saúde e segurança pública, criando capital humano para avançar na elucidação de crimes sexuais.

“É fundamental que a atualização seja permanente e que cada vez mais nossos profissionais estejam aprimorando os conhecimentos e os recursos tecnológicos disponíveis, ajudando a desvendar os crimes de forma mais rápida e precisa”, disse o vice-governador e secretário de segurança.

Foram certificadas 140 pessoas. De acordo com o delegado-geral, Mariolino Brito, a técnica é fundamental para identificar criminosos. “Essa questão da sexologia forense vai contribuir para elucidar crimes de natureza sexual, que são de difícil elucidação. A técnica é fundamental para que se chegue às autorias”, esclareceu.

(Visited 2 times, 2 visits today)

Comente esta matéria

Please enter your comment!
Informe seu nome aqui