Netanyahu e Macron: Presidente da França reiterou apoio para que Israel tenha sua segurança garantida (Stephane Mahe/Reuters)

O presidente francês, Emmanuel Macron, denunciou a colaboração do seu país no Holocausto, criticando aqueles que ainda minimizam o papel francês no fato que causou a morte de dezenas de milhares de judeus.

No aniversário de 75 anos do ataque do Velódromo de Inverno de Paris, Macron insistiu que foi, “de fato, a França que organizou” o aprisionamento. Ele disse que “nenhum alemão” foi diretamente envolvido, mas a polícia francesa colaborou com os nazistas.

Macron minimizou os argumentos dos líderes franceses de extrema-direita de que o regime colaboracionista de Vichy não representava o estado francês, ao dizer que esse é um discurso “conveniente, mas falso”.

Estadão Conteúdo