O projeto foi viabilizado por meio do Programa Ciência na Escola da Fapeam.

O dicionário está disponibilizado na Escola Estadual Augusto Carneiro dos Santos e em breve será disponibilizado em toda rede Estadual de Ensino do Amazonas

Auxiliar os alunos surdos nas aulas de Educação Física por meio de um dicionário de Educação Física em Libras, para que possam praticar as atividades e ter o conhecimento da disciplina dentro da Língua de Sinais e, também, da Língua Portuguesa na modalidade escrita, é o objetivo do projeto de pesquisa do professor de Educação Física, Keegan Bezerra Ponce.

O projeto, que teve início em 2016, recebeu aporte do Governo do Estado por meio do Programa Ciência na Escola (PCE), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), e surgiu a necessidade de ensinar os alunos com dificuldade de aprender os conteúdos curriculares em Libras, com o desafio de passar o conteúdo da Língua Portuguesa para eles.

De acordo com Keegan, essas necessidades já vinham sendo discutidas há anos, e a busca pela melhoria na qualidade do ensino em Libras é constante. “A primeira etapa do projeto já foi concluída e agora submeti a segunda etapa nesse novo edital do PCE que está em aberto, pois a Libras é uma língua que está sempre em movimento, por isso cada vez mais surge a necessidade de se acrescentar novas palavras de Educação Física ao dicionário, fazendo da nossa pesquisa um estudo constante”, afirmou o professor.

O projeto de pesquisa foi divido em quatro etapas e todas elas tiveram a participação intensiva dos alunos surdos. Na primeira etapa foram selecionados os bolsistas que iriam auxiliar na elaboração do dicionário, juntamente com as palavras de Educação Física utilizadas nas aulas. Também foram selecionados os materiais e espaços para as atividades físicas.

“Nós realizamos as atividades em vários lugares de Manaus, como por exemplo, a Vila Olímpica, a Arena Amadeu Teixeira, a Arena da Amazônia, dentre outros, e também escolhemos os esportes que fariam parte do dicionário, dentre eles, o futsal, o atletismo e a natação, além das habilidades, técnicas e regras desses esportes, para que tudo fosse inserido no dicionário”, disse Keegan.

O professor explica, ainda, que o próprio surdo detentor de Libras pode criar Sinais em sua Língua e, por isso, os próprios alunos criaram e escolheram os sinais em comum acordo entre si. Após escolhidas as palavras e aprendido os sinais, foram realizadas filmagens, pois o dicionário é disponibilizado em DVD, e os vídeos foram editados e organizados de forma didática para melhor compreensão de quem assiste.

Para Bezerra, o projeto já trouxe vários resultados positivo para a comunidade surda e para a educação, pois o material didático serve de auxílio para professores e alunos, para aprender os sinais de Educação Física dentro da regionalidade. Além disso, o vídeo dicionário pode ajudar professores de outras disciplinas que queiram trabalhar conteúdos referentes à Língua de Sinais.

“Percebemos, também, que o vídeo didático serve como apoio na formação inicial de professores de Educação Física que irão trabalhar em escolas especiais ou escolas regulares que tenham alunos surdos incluídos nelas. Desta forma, os estudantes surdos das séries iniciais poderão aprender com mais facilidade a Libras”, afirmou.

Parcerias – Além da Fapeam, o projeto contou com a parceria da Escola Estadual Augusto Carneiro dos Santos, onde foi realizada a maior parte das atividades com os alunos, que são estudantes de lá, e teve total apoio da gestora da escola, Haydée dos Santos Carneiro, e da professora Maria das Graças Abrahim, que contribuíram para a execução do projeto.

Keegan ressalta, ainda, sobre a importância da Fapeam em apoiar projetos na área de ensino e pesquisa.

“O fomento que recebemos para a realização desses projetos nos ajudam a trazer inovações e melhorias na qualidade de ensino no nosso Estado e, principalmente, na comunidade onde o projeto é aplicado. Isso nos incentiva a realizar mais pesquisas científicas e a submeter mais projetos nos programas oferecidos pela Fapeam, pois percebemos um retorno bem grande por parte de quem recebe um projeto como este. Por isso esse apoio que recebemos da Fapeam é muito importante”, finalizou o professor.

A segunda etapa do projeto que foi submetida no edital do PCE objetiva confeccionar um Glossário de Educação Física em Libras. A divulgação do resultado com os selecionados no novo edital do PCE está prevista para Junho de 2017.

(Visited 3 times, 1 visits today)

Comente esta matéria

Please enter your comment!
Informe seu nome aqui