o-verdadeiro-significado-natal

Por Silvio da Costa Bringel Batista*

O dia de Natal é comemorado em todos os países do mundo, mas poucos conhecem seu verdadeiro significado.

O anúncio do nascimento de Jesus é algo que remonta ao início da civilização humana, feita pelo próprio Deus no Jardim do Éden. Vejamos:

O homem resolveu desobedecer a Deus, romper seu relacionamento íntimo e diário com o Criador, no mesmo instante, Deus – em seu infinito amor – apesar de punir os desobedientes, instituiu à humanidade um plano de salvação: “Então, o Senhor Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isso, maldita serás mais que toda besta e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás e pó comerás todos os dias da tua vida. E porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. ESTE TE FERIRÁ A CABEÇA, E TU LHE FERIRÁS O CALCANHAR..” (Gêneses 3:14-15). Naquele instante iniciava o plano de Deus para o resgate da humanidade; a serpente é o diabo e a descendência imaculada da mulher é Jesus, o qual estava desde o princípio, pois é Deus: “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança..” (Gêneses 1:26).

O nascimento de Jesus foi ao mesmo tempo um ato de humilhação e de iluminação. A luz brilhou, mas muitos ainda preferem permanecer nas trevas: “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.” (João 1:14).

Profetizado por Isaías e Acaz (Isaías 7:10-14), sua concepção é nascimento miraculosos não são fatos sem importância – é o cerne da história de Jesus – pois o nascimento virginal (seria mais correto falar em “conceição virginal”; a palavra “conceptione” evoluiu oralmente para conceição e, por via erudita, para concepção) – é prova da Encarnação de Jesus e de que Cristo é realmente Deus.

Seu ministério foi desenvolvido num período curto de três anos, mas foi intenso, marcado por uma convivência rica com seus discípulos, os quais compartilharam de momentos especiais e foram testemunhas de seus milagres, curas, sermões, encontros inusitados com pecadores, líderes religiosos, sua perseguição, sofrimento, morte e ressurreição.

Os líderes religiosos, incomodados com a crescente popularidade de Jesus, procuravam achá-lo em falta e Ele – sabendo se sua missão redentora – começou a preparar seus discípulos, instruindo-os sobre eventos futuros, especialmente o fim do mundo.

Jesus Cristo reafirmou a certeza de sua volta e mencionou vários sinais que a precederiam, desafiando-os a estarem vigilantes e diligentes. Com isso preparava o caminho para os eventos da sua prisão, julgamento, sofrimento, crucificação e ressurreição que se seguiriam.

Na noite anterior à sua prisão Jesus instituiu a “Ceia do Senhor”, explicando o significado da sua morte através do pão e do vinho, que simbolizavam seu corpo partido e seu sangue derramado pelos pecadores, instituiu um memorial que selava uma nova aliança, o regime da lei estaria extinto e a graça redentora se instalaria.

Levado à presença das autoridades, Jesus foi interrogado e julgado inocente por Pilatos. Mas, seus inimigos, escarneciam dEle e incitavam a multidão pedindo sua morte. Pilatos entregou-o para ser crucificado, sendo pregado numa cruz, sofreu zombarias, açoites e humilhações, mas ainda assim expressou compaixão pelo criminoso arrependido crucificado ao seu lado. Naquele instante comoveu-se por sua mãe e pelo discípulo João, orou ao Pai pelo perdão daqueles que O crucificaram e com um grande grito, expirou. Naquele momento houve escuridão e um terremoto; era a natureza reconhecendo o significado do evento. O véu do templo de Jerusalém foi partido ao meio, não mais servindo como barreira ao lugar Santo dos Santos, pois a morte de Jesus abriu o caminho para todas as pessoas chegarem livremente à presença de Deus e adorá-lo. Ele pagou por nossos pecados e nos deu a possibilidade de volta ao Pai.

O corpo de Jesus foi colocado numa tumba emprestada, que depois de três dias foi encontrada vazia. Cumpriram-se as Escrituras: Jesus ressuscitou glorificado em forma humana e seus aparecimentos foram ocasiões de alegria e ensinamentos.

A ressurreição transformou aquilo que muitos achavam ser tragédia, em inigualável vitória. Sua ascensão aos céus aconteceu quarenta dias depois da ressurreição. Jesus foi juntar-se ao Pai em glória, e nós o aguardamos para resgatar sua Igreja.

Por fim, após outros acontecimentos apocalípticos, o grande dia chegará: “E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.” (Apocalipse 20:10).

Assim a profecia/promessa estará totalmente cumprida, a serpente será esmagada pela descendência da mulher, Jesus, encarnação do Filho de Deus, pessoalmente, cuidará de destruir a interferência do diabo sobre sua criação. E, haverá um “novo céu e uma nova terra”. E Jesus dirá: “Está cumprido; Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim”.

O Natal não pode ser extraído do contexto, senão perde seu valor, quem não tem conhecimento do início e do fim, não entende o verdadeiro sentido do nascimento de Jesus.

Um natal de meditação, esperança, saúde e paz: meditação sobre o verdadeiro significado deste dia, fato que mudou a história da humanidade (Isaías 9:6); esperança porque sabemos que Ele foi prometido, nasceu, morreu e ressuscitou e por isto esperamos sua volta para buscar a Igreja (João 14:1-3); saúde (espiritual) porque estávamos mortos em nossos delitos e pecados e Ele nos ressuscitou para uma vida de santidade; e paz porque nos reconciliou com Deus (Efésios 2:1-10), pois éramos inimigos de Deus, mas fomos feitos seus filhos pela divina adoção em Cristo Jesus (Romanos 5:10; Romanos 8:16; Gálatas 4:4-5 e 1 João 3:1). Amém!

*Perfil do articulista: Clique aqui

Republicado em 12.12.16

(Visited 85 times, 1 visits today)

2 COMENTÁRIOS

  1. Eu acredito no verdadeiro sentido do Natal que é Jesus Cristo um presente que alcança a todos nós ao que crê e ao que não crê, pois o sol nasceu para todos sem exceção. Segundo a Bíblia diz que um dia " todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor. " Sua bondade e eternidade foi oferecida a toda humanidade um presente eterno e inesquecível, parabéns a Jesus e a nós do planeta terra. Aleluia.

Comente esta matéria

Please enter your comment!
Informe seu nome aqui