Entrevista concedida por Francisco Cruz*

Francisco Cruz ingressou no MPE em 1985, e já atuou nas comarcas de São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro, Humaitá e Parintins. Na capital, atuou nas promotorias de Justiças Criminais, em especial no 2º Tribunal do Júri. Como procurador de justiça, teve titularidade na 21ª Procuradoria. Exerce, ainda, a chefia do Ministério Público Estadual do Amazonas.

O procurador-geral de Justiça do Amazonas, Francisco Cruz, aceitou hoje (18/09) de manhã o convite do governador José Melo e deve ser confirmado, no cargo ocupado por quase dez anos por Thomaz Vasconcelos Dias, como secretário estadual adjunto de Inteligência. Thomaz foi exonerado ontem em meio à crise provocada por assaltos, como o do Banco Itaú, cuja agência fica a poucos quarteirões da sede do Governo do Estado. O subprocurador José Hamilton Saraiva dos Santos deverá assumir a procuradoria-geral até o dia 14 de outubro, quando o novo titular, Fábio Monteiro, assume o cargo.

Hamilton receberá, em nome do Ministério Público Estadual (MPE), ainda hoje, um ofício da Casa Civil do Governo do Amazonas, cumprindo formalidade legal, pedindo a cessão de Francisco Cruz para a Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai). O pedido será encaminhado ao Conselho Superior, formado por sete integrantes do MPE, que opinará sobre a cessão. Tudo mera formalidade, que deve ser superada ainda neste fim de semana.

Francisco Cruz, filho de Humaitá, entrou no MPE em julho de 1985. Ele conversou agora há pouco com o blog, falando sobre a nova missão, mantendo o conhecido bom-humor:

blog – O que houve? O governador tinha dito para mim que o senhor não tinha estudado para isso. Estudou em dois dias (risos)?

Francisco Cruz – Não sabia que ele tinha dito isso (risos). Mas eu sempre trabalhei no Direito Penal e estudo Criminologia. Vejo o crime como um fenômeno social e humano. Caso a nomeação seja consumada, quero contribuir com a coisa pública da minha terra. Essa oportunidade é para o servidor público, do Ministério Público, dar mais uma contribuição à nossa terra.

blog – Dizem que o sonho do Ministério Público é colocar as mãos na parafernália dos arapongas. O sonho está se tornando realidade?

Cruz – O Ministério Público é parceiro de todos os órgãos que têm compromisso na proteção da sociedade. A escuta é uma ferramenta moderna, mas precisa ser utilizada dentro das regras da Constituição da República. Será uma ferramenta do enfrentamento da criminalidade pelas autoridades criminais, mas para informação segura na defesa da sociedade.

blog – Quando será a posse?

Cruz – vai depender da avaliação do Conselho Superior do MPE, mas a Secretaria Adjunta (Seai) está sob o comando da delegada Tâmera (Assad) e, portanto, os trabalhos não estão sofrendo solução de continuidade. Está tudo no ritmo normal.

blog – O senhor vai mantê-la no cargo?

Cruz – Não há mudança nos três delegados que trabalham lá (Tâmera Maciel Assad, Mário Paulo Teles e Herbert Pascarelli). Eles têm experiência, o perfil corresponde e a continuidade é necessária, de imediato, e, no futuro, se houver necessidade, a gente faz as mudanças.

*A entrevista foi concedida ao Jornalista Marcos Santos, publicada em seu blog e autorizada a reprodução exclusiva por este Portal.

(Visited 18 times, 1 visits today)

Comente esta matéria

Please enter your comment!
Informe seu nome aqui