quinta-feira, janeiro 24, 2019

Jornalista dono de Blog, Mário Randolfo, é assassinado sete meses após primeiro atentado

0
mario randolfo marques lopes
Jornalista e editor-chefe do Blog Vassouras na Net, Mário Randolfo Marques Lopes, de 50 anos, foi morto a tiro juntamente com sua namorada, Maria Aparecida Guimarães, em Barra do Piraí (Rio de Janeiro), na noite de 8 para 9 de fevereiro de 2012. As circunstâncias do crime são ainda imprecisas. De acordo com informações difundidas pela mario randolfo marques lopesimprensa local, o casal teria sido sequestrado em sua casa por três indivíduos que os conduziram a outro bairro da cidade para executá-los. A polícia não dispõe, até ao momento, de nenhuma pista concreta acerca dos assassinos. Embora a motivação do crime esteja ainda por estabelecer, Mário Randolfo Marques Lopes era conhecido pelas inimizades causadas por suas repetidas denúncias de casos de corrupção, envolvendo por vezes empresários e políticos locais. Um delegado e um juiz chegaram mesmo a processá-lo por calúnia e difamação. No dia 6 de julho de 2011, um indivíduo encapuzado tentara matá-lo, em circunstâncias semelhantes, no seu antigo domicílio de Vassouras. Atingido por cinco balas na cabeça, com proteção policial durante o internamento no hospital, o jornalista sobreviveu miraculosamente a esse atentado, nunca elucidado, e decidiu mudar-se para Barra do Piraí.“Apesar de toda a prudência que o caso exige, esperamos que esses antecedentes serão tomados em consideração e explorados pelos investigadores. Em 2011, foram várias as tragédias que enlutaram a imprensa brasileira. O acompanhamento de casos políticos delicados continua colocando os jornalistas em perigo, sobretudo ao nível local. Qualquer que seja a motivação por trás desse crime, sua rápida elucidação deve constituir um ponto de viragem na luta contra a impunidade”, declarou Repórteres sem Fronteiras, que expressa também suas condolências à família e colegas de Mário Randolfo Marques Lopes e de Maria Aparecida Guimarães.

Os graves atos de violência ocorridos no Brasil em 2011 motivaram uma significativa queda – de 41 posições – do país na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa, publicada por Repórteres sem Fronteiras no passado dia 25 de janeiro.
De acordo com o delegado responsável pelo caso, José Mário Salomão de Omena, o jornalista “criou um volume de inimigos tão grande que fica difícil saber por onde começar as investigações”.
Brasil mata mais jornalistas:
Deu no ‘Globo’:

“A ONG Repórteres Sem Fronteiras lamentou em seu site o assassinato do jornalista Paulo Roberto Cardoso Rodrigues, no último domingo, em Ponta Porã, Mato Grosso do Sul. “Essa violência infelizmente confirma a tendência do último ranking (de liberdade de expressão feito pela ONG), em que o Brasil despenca 41 lugares, até 99a posição”.

O site do diário espanhol “El País” também noticiou o assassinato de Paulo Roberto e destacou que o homicídio é o segundo praticado contra jornalistas no Brasil em apenas uma semana. “Devido às suas denúncias, (Paulo Roberto) já havia sido vítima de um atentado em julho de 2011, quando quase perdeu a vida”. A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), vinculada à Organização dos Estados Americanos (OEA), cobrou das autoridades brasileiras o esclarecimento do assassinato do jornalista Mário Randolfo Marques Lopes e de sua mulher, Maria Aparecida Guimarães, na última quinta-feira, em Barra do Piraí.

Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que o delegado José Mario Omena, responsável pelas investigações, já solicitou imagens das câmeras da rodovia onde o crime ocorreu e também das ruas que teriam sido o provável trajeto feito pelos criminosos.

O delegado acrescentou que ouviria ontem colegas de trabalho de Maria Aparecida. Segundo ele, os dois estão com marcas de algemas na mão direita. Laudos de necropsia e da perícia no local do crime e na casa das vítimas estão sendo concluídos. Mário Randolfo Marques Lopes era editor-chefe do jornal eletrônico “Vassouras na Net”, da cidade de Vassouras (RJ).
O jornalista fizera denúncias sobre irregularidades do poder público local e já fora alvo de tiros em julho de 2011. A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) e o Comitê de Proteção aos Jornalistas (CPJ) também pediram uma investigação para esclarecer os crimes contra jornalistas no Brasil”.

 No último dia 12 também foi vítima Rocaro alvo de um atentado em Ponta Porã (MS), na fronteira com o Paraguai. Além de fundador do site Mercosulnews, ele era editor-chefe do Jornal da Praça, onde trabalhava há quase 30 anos. Conforme a Agência Brasil noticiou, documentos da Vara do Trabalho de Ponta Porã indicam que, até recentemente, um dos donos do jornal era Fahd Jamil, o Rei da Fronteira. Jamil foi condenado em 2005 a 20 anos de prisão por tráfico internacional de drogas. Rocaro também publicou três livros, entre eles um com denúncias sobre a atuação de grupos de extermínio na fronteira Brasil-Paraguai. Poucos dias antes de Rocaro ser morto, o jornalista, Mario Randolfo Marques Lopes, havia sido assassinado.
(Visited 46 times, 1 visits today)

Comente esta matéria

Please enter your comment!
Informe seu nome aqui